INFORMATIVO DA DIRETORIA Nº 19/2022

(CONTEÚDO EXCLUSIVO DOS MEMBROS DA SFN)

20/08/2022

FUNARTE – PARTE I

No decorrer desta semana, a SFN atualizou todos os dados cadastrais junto à Fundação Nacional de Artes – Funarte. Em contato com a área responsável, nos foi informado que os contatos da Sabbatini ainda correspondiam aos dados que haviam sido preenchidos pelo então presidente Ailson Piazza.

A institucionalização e a padronização de todas as informações de contato, de modo a referenciar sempre os canais oficiais de comunicação, faz parte da política da atual gestão da SFN; e tem por objetivo abolir antigas práticas, como a de informar dados pessoais para fins de tratativas relacionadas ao CNPJ da Entidade.

Nota 1: Apenas o telefone celular (campo obrigatório) foi cadastrado com o número do atual presidente, uma vez que a entidade não dispõe de telefone próprio.
Nota 2: A atual diretoria vem estudando a elaboração de documentos internos que relacionem, de forma clara e objetiva, todas as ações ordinárias sob a responsabilidade da diretoria, a exemplo da atualização de informações gerais, da emissão de documentos recorrentes – como alvarás de prefeitura e corpo de bombeiros, da renovação de seguro, das averbações, da alteração de dados bancários, dos serviços com assinaturas (softwares), das despesas recorrentes, entre outros.
Nota 3: Segundo os dados oficiais fornecidos pela Funarte, de todas as bandas musicais do Estado (com exceção das corporações militares), a Sabbatini foi a única que declarou ter domínio próprio (www.sabbatini.art.br) e serviços de e-mail vinculados ao domínio (banda@sabbatini.art.br / maestro@sabbatini.art.br). Todas as demais bandas civis cadastraram informações vinculadas a serviços gratuitos, como hotmail.com, gmail.com e afins. Um motivo de orgulho para nossa centenária entidade, que – hoje – dispõe de canais de comunicação compatíveis com a sua envergadura.

FUNARTE – PARTE II

Com as alterações cadastrais recém-promovidas, a Funarte informou que a SFN passará a receber todos os avisos referentes ao lançamento de editais. Na nossa nova estrutura, isso ocorrerá diretamente no celular do presidente da Entidade.

Ainda segundo a Funarte, desde o ano de 2008, a Sabbatini não participou de 5 (cinco) editais voltados para o repasse de recursos financeiros ou para a doação de instrumentos musicais. A título de complemento, seguem as relações dos contemplados em cada uma das 5 edições (sendo a segunda imagem correspondente à lista de premiação, em 2 anos consecutivos):

FUNARTE – PARTE III

Aproveitando a oportunidade, foram garimpados – também junto à Funarte – mais 5 arranjos musicais que integram as séries “Música Brasileira pra Bandas“, “Repertório de Ouro das Bandas de Música do Brasil” e “Hinos do Brasil“. Todo o material, meticulosamente produzido e publicado pela Funarte, corresponde a orquestrações extremamente bem elaboradas e completas… e já estão à disposição da Sabbatini:

  1. Novo Tempo (Ivan Lins / Vitor Martins);
  2. Baião de Lacan (Guinga / Aldir Blanc);
  3. Bebê (Baião, de Hermeto Pascoal);
  4. Folhas Secas (Samba, de Nelson Cavaquinho / Guilherme de Brito);
  5. Hino à Bandeira Nacional (Francisco Braga/Olavo Bilac).

Para ver uma das músicas – completas – clique abaixo:

Há alguns anos atrás, o nosso conselheiro fiscal, Marcio Meyer, entregou à Sabbatini diversas partituras impressas, igualmente produzidas pela FUNARTE. O material – de altíssima qualidade – é parte integrante das mesmas 3 séries acima citadas. Até o momento, já foram selecionados e digitalizados 19 títulos completos – que também estão à disposição da Sabbatini. Eis as músicas:

  1. Amor de um Pai (Dobrado, de Silvestre Pereira de Oliveira);
  2. Lágrimas de Folião (Frevo, de Levino Ferreira da Silva);
  3. Copacabana (Samba, de Braguinha / Alberto Ribeiro);
  4. Hino Nacional do Brasil (Francisco Manoel da Silva / Joaquim Osório Duque Estrada);
  5. Jubileu (Dobrado, de Anacleto de Medeiros);
  6. Barão do Rio Branco (Dobrado, de Francisco Braga);
  7. Professor Celso Woltzenlogel (Dobrado, de Joaquim Naegele);
  8. Estrela de Friburgo (Polca, de Joaquim Naegele);
  9. Ouro Negro (Dobrado, de Joaquim Naegele);
  10. Os Boêmios (Tango Brasileiro, de Anacleto de Medeiros);
  11. Testa de Aço (Frevo, de José Genuíno da Rocha);
  12. Dois Corações (Dobrado, de Pedro Salgado);
  13. Hino da Independência (D. Pedro I / Evaristo da Veiga) ;
  14. Hino da Proclamação da República (de Leopoldo Miguez / Medeiros e Albuquerque);
  15. Ponteio (Baião, de Edu Lobo / Capinam);
  16. Palpite Infeliz (Samba, de Noel Rosa);
  17. Quatro Danças Brasileiras (Samba, Maxixe, Marcha-Rancho, Choro; de Hudson Nogueira);
  18. Suíte Nordestina (Baião, Serenata, Maracatu, Frevo; de José Ursicino da Silva – Mestre Duda);
  19. Suíte Pernambucana de Bolso (Caboclinhos, Serenata, Côco, Frevo; de José Ursicino da Silva – Mestre Duda).

Por fim, deixo aqui um sincero agradecimento ao amigo Marcio Meyer, pelo seu empenho em ajudar a Banda.

Um abraço a todos!

Robson Antonio Tomasi – Presidente da SFN